17 de set de 2008

1 / 5 Macete do tubo

Esse post faz parte de uma série de tutoriais que estão sendo postados para aumento da performance das Intruder e das Yes. verifique os topicos anteriores e faça todos os ajustes em ordem de postagem. Verifique o número que aparece no topo do tópico para saber em que parte da regulagem o post está abordando.


Abraços

PS.: Clique nas imagens para vê-las ampliadas

Parte 1 de 5

Porque fazer o macete do Turbo?

Os dois carburadores, do fabricante Mikuni, utilizados na linha das motos 125 da Suzuki (Yes e Intruder 125, e na realidade são 3 carburadores: VM22, BS24(Katana 125) e BS26), têm um dos circuitos principais de funcionamento atrapalhado pelo formato do tubo que conduz o ar, entre a caixa do filtro de ar e o próprio carburador. É um tubo de borracha, com o formato de um funil enviezado.

Isso se manifesta através da falta de torque em baixas e médias rotações e acelerações, nas Yes e Intruder (esta, do mod. 2007 em diante), que utilizam o carburador mecânico VM22, e de um excesso de consumo e irregularidade de funcionamento na Intruder com carburador a vácuo (e na Katana).

Nas Yes/Intruder "mecânicas", o circuito que é atrapalhado é o da "baixa", responsável pela mistura ar/gasolina quando se usa até 1/3 aproximadamente da abertura do acelerador (calcule 1/3 do tanto que se consegue girar a manopla do acelerador). Após essa abertura, o outro circuito, o da alta (onde atua a agulha e o pistonete) é que atua predominantemente (ou exclusivamente).

Mas ainda até além desse 1/3, devido à deficiência na obtenção de ar nesse circuito causada pelo formato do tubo, a mistura que o motor puxa através dele é muito rica, e assim sendo ela não queima direito, e provoca perda de rendimento. E, é claro, algum aumento de consumo.

Nas Intruder/Katana com carburador vácuo, o circuito atrapalhado já é o da "alta", onde está a agulha e o pistonete (este é acionado pela depressão, pela aspiração do motor, e não pelo cabo do acelerador diretamente). Mas neste caso, a dificuldade de funcionamento do carburador começa até mesmo antes que o outro. O motor geralmente apresenta um torque até razoável em baixa, mas com oscilações consideráveis, perdendo muito na média, e só se recuperando nas altas aberturas do acelerador, mas com um consumo ainda incompatível, elevado.

O macete (afastar o tubo alguns milímetros na ponta do carburador) faz com que esses dois circuitos consigam fornecer uma mistura mais condizente com a faixa de atuação de cada um. Isso faz a interferência desse tubo diminuir consideravelmente. Claro que há a necessidade de reacerto dos carburadores, já que se modificou parte da mistura. Claro que há a necessidade de que um dos principais pontos dele seja verificado quanto à medida correta, que é a altura do nível da gasolina, no carburador. Isso é imprescindível para a otimização deles, e cito isso porque encontrei muita variação nessa medida, nas diversas motos em que já tive a oportunidade de trabalhar nesses acertos (mas basicamente nas que usam o carburador mecânico). E ainda: o tanto que se deve afastar o tubo, pode ser (e tem sido) diferente de uma moto para outra... a situação encontrada é tão delicada que até mesmo um único milímetro de diferença no afastamento produz diferenças no resultado final.

Em resumo, o macete serve para corrigir parte do funcionamento do carburador, melhorando o funcionamento do motor, e com isso pode-se também obter consumo melhorado. O melhor indício dessa melhora, é uma maior facilidade do motor vencer subidas, e reacelerações.

E uma descrição simples: o TORQUE, em um motor, é uma medida da facilidade que ele tem em aplicar a potência que consegue gerar. O macete acaba lidando mais com o torque nesses motores, do que na potência máxima que eles podem gerar.

MACETE DO TUBO

O macete do tubo começa nesse parafuso philips, que aperta a abraçadeira do carburador (que em todo este tutorial é o VM22). Vamos trabalhar em duas pessoas, mas isso é necessário apenas para fazer o afastamento sem a ferramenta. Nessa primeira foto, o meu tubo já está afastado.

O parafuso deve ser bem solto, mas não a ponto de sair. A abraçadeira deve ficar solta.



Pelo lado direito da moto, uma pessoa usando a face lateral de alguma lâmina resistente, como a ponta de uma chave de fenda grande, empurra a ponta do tubo condutor, fazendo com que a abraçadeira acompanhe isso. Calculado os 3 ou 4 milímetros de afastamento, deve segurar o tubo nessa posição.



Pelo lado esquerdo, a outra pessoa deverá alinhar o restante do tubo o melhor possível, segurar com os dedos de uma mão, enquanto com a outra aperta o parafuso da abraçadeira, certificando-se que não está nem pouco afastado, e nem demais. Com um pouco de paciência e calma, termina-se isso em 10 minutos ou menos...




A verificação do nível da gasolina dentro da cuba do carburador não é obrigatória... mas sempre recomendo, para garantir que tudo funcione com mais eficiência. Muito do funcionamento do carburador depende do nível correto.

Essa é a mangueira de escoamento, ou "ladrão". Essa ponta inferior do carburador funciona como um dreno, onde pode-se esvaziar a cuba, e funciona como respiro e ladrão (enquanto o dreno está fechado). Qualquer problema com a bóia ou a agulha da bóia, e a gasolina excedente sairá por essa mangueira.

Para a nossa verificação, ela deve ser desconectada, e colocada de lado para que não caia e não saia do passador (antes de desconectar, observe o caminho que ela faz para baixo do motor...)





Utilizando-se uma mangueira transparente (vendida nas lojas de moto peças), conecta-se no lugar onde estava a mangueira de escoamento. Essa mangueira que usei precisou de um pedacinho da própria mangueira de escoamento, como adaptador para o encaixe.




Encaixada no lugar, é só segurá-la de alguma maneira para cima, pq a seguir vamos abrir o parafuso de dreno, e a gasolina fluirá pela mangueira.




Esse é o parafuso de dreno. Ele é bem apertado, e porisso deve-se ter firmeza com a chave de fenda, inclusive segurando-se o carburador para que não se forçe o coletor de admissão (onde o carburador é preso por duas porcas). Bastam apenas duas voltas de abertura... ele não deve ser retirado, porque a gasolina escorreria totalmente.




A medição: com o motor aquecido, funcionando em marcha-lenta, e sem o afogador, pode-se usar uma pequena régua. Coloca-se a mangueira junto ao meio da face lateral da cuba, e mede-se a distância entre a altura da gasolina dentro da mangueira, e a linha da base do carburador (a junção da cuba). Nessa foto, o carburador é de uma Intruder mod. 2007. O nível está um pouquinho acima do que deveria, está com praticamente 4 mm, e deveria ser 5 milímetros.




Nesta foto, o meu carburador original, com o nível que eu utilizava (6 mm). Nessa época eu não tinha a informação do nível correto, e havia chegado a esses 6 mm através de variações nas regulagens e períodos de teste.

Antes de fazer o afastamento do tubo condutor, esse era o nível mais adequado que experimentei. Meu carburador permanece com esse nível, mas assim que eu voltar a utilizá-lo farei a correção (lembrando que estou usando um carburador vácuo na minha Yes).

Terminando esta verificação, fecha-se o parafuso de dreno. Igualmente, deverá ser apertado com firmeza. Mas sem exagero.



Créditos: João Duarte

Links relacionados com essa postagem:
1 / 5 - Macete do tubo
2 / 5 - Regulagem da marcha lenta
3 / 5 - Regulagem da posição da Agulha
4 / 5 - Nível da gasolina no carburador
5 / 5 - Corte do restritor de ar

3 comentários:

Diego disse...

Esses macetes vaem para a yes se 2011? tenho uma, gostara de saber se eu preciso fazer isso.

Fabio Fernandes disse...

Por favor gostaria de saber como melhorar o torque da Suzi 2011. Pois ela tem o carbura eletronico. Obrigado.

tinho silva disse...

Procuro alguém em São Paulo zona norte que falsa esse macete.. Favor entrar em contato 987085465 tratar com itallo